O que são benefícios flexíveis e como implantá-los na empresa?

O que são benefícios flexíveis e como implantá-los na empresa?

Posted by

Você conhece bem o que são os benefícios flexíveis? Em linhas gerais, podemos dizer que são benefícios que a empresa disponibiliza aos seus profissionais por meio de negociação, sendo que o colaborador tem livre-arbítrio para escolher o que é mais adequado para si.

Normalmente, servem como oferta de melhorias de vida para o colaborador. São fatores que os engajam, retêm e motivam a “vestirem a camisa” verdadeiramente, a fim de contribuir com o progresso da organização. Esses tipos de benefícios também são fortes atrativos quando se trata de captar os melhores talentos para somar às equipes e ainda diminuem a ocorrência de turnover na instituição.

Quer entender melhor como inserir mais benefícios na sua organização para ter um grupo alinhado, eficiente e feliz? Confira ao continuar lendo este artigo!

Conheça os principais tipos de benefícios flexíveis

Oferecer uma diversidade de benefícios aos colaboradores “é de encher os olhos”. Essa ação demonstra o quanto a empresa os reconhece e deseja fomentar bem-estar e qualidade de vida a cada pessoa que labuta no dia a dia da organização. Dentre os inúmeros benefícios flexíveis, podemos destacar:

  • auxílio-academia;
  • plano de saúde e odontológico;
  • previdência privada;
  • vale-cultura;
  • bolsa de estudo.

Veja como devem ser implementados

Para colocar em prática o implemento de benefícios flexíveis, o gestor de Recursos Humanos deve estar atento a diversos apontamentos, de modo que as decisões sejam coerentes com os objetivos que foram projetados.

Existem várias observações que precisam ser muito bem avaliadas e colocadas em ação, para que os colaboradores e a empresa coletem os melhores “frutos”.

Conhecer a legislação

Decidir por disponibilizar benefícios flexíveis aos profissionais do grupo é uma atitude que a gestão de Recursos Humanos precisa estudar muito bem antes de tomar decisões, pois existem algumas normas a serem cumpridas, para que a empresa não sofra prejuízos orçamentários tampouco constrangimentos.

Assim como os outros privilégios, o acordo entre os colaboradores e a instituição deve ser segundo a legislação trabalhista, que tem como propósito apontar as normas que devem ser obedecidas para atuar dentro da legalidade.

Compreender o perfil dos funcionários

Conhecer o público que compõe a equipe é imprescindível para oferecer os proventos que condizem com as suas realidades. Portanto, é fundamental inteirar-se sobre o perfil de cada profissional e avaliar as suas necessidades, para que, por meio do benefício flexível, o colaborador possa sanar sua carência — a qual pode ser, por exemplo, obter um plano de saúde.

Fazer um planejamento

Como tudo na empresa, o planejamento é a primeira ação antes de implantar os benefícios flexíveis. Em se tratando de privilégios variáveis, é válido que os colaboradores participem do planejamento das escolhas. Isso porque vale escutar a opinião, as explicações e as necessidades de cada pessoa para optar pelos benefícios que vão atender às demandas de cada profissional e, assim, poderão contribuir para torná-los mais satisfeitos no ambiente de trabalho.

A empresa deve averiguar, também com os colaboradores, sobre a possibilidade de eles poderem fazer a mudança de benefícios depois de determinado tempo. A pergunta deve ser especulada pelos gestores, pois o mais importante é oferecer bem-estar a todos os funcionários.

Nessa reunião, os gestores de Recursos Humanos podem adiantar informações sobre como a realização e a administração dos benefícios vão acontecer, a necessidade de assinatura dos termos que explicam o benefício escolhido e as formas de comprovação da adesão.

Outra informação que deve ser compartilhada com os profissionais é quanto ao desconto em folha de pagamento. Essa notícia deve ser acrescentada no termo de adesão de forma bem explícita, para que não ocorram dúvidas e questionamentos futuros. Ao assinar o termo, eles vão estar tomando consciência e concordando com todos os procedimentos que vão acontecer no que se refere aos benefícios flexíveis que vão receber.

Após toda parte burocrática ser confirmada entre empresa e funcionários, é seguro que o termo seja anexado à ficha funcional dos colaboradores, mesmo que seja em formato virtual.

Considerar as condições da empresa

Sabe-se que oferecer benefício flexível aos colaboradores é uma excelente tática que os motiva a diversos ganhos, como crescimento da performance para melhorar a produtividade e tantas outras vantagens. No entanto, é uma decisão que precisa ser tomada dentro da realidade da organização, afinal, para que o projeto se desenvolva, é necessário um grande processo.

Em razão disso, é importante que os gestores maiores, os responsáveis pelo RH assim como os responsáveis pelo setor financeiro, se reúnam para averiguar o que mais condiz com a realidade do momento. A partir disso, é indicado realizar novas projeções para que a oferta dos benefícios seja ampliada.

Encontrar as melhores alternativas

Antes de decidir pelo que achar mais conveniente para a empresa, é pertinente conhecer bem o funcionamento dos planos de benefícios flexíveis. A organização pode decidir por aderir a um sistema de créditos, de pontuações ou, até mesmo, por serviços de pacotes prontos, para que os colaboradores tenham a oportunidade de escolher o que melhor atende às suas necessidades.

Usar a tecnologia

Usufruir de uma tecnologia inovadora, atualizada e que esteja de acordo com as questões legais é o mais indicado para implementar benefícios flexíveis que atendam a todas as atualizações das regras desses programas. Isso fica mais simples e seguro quando é realizado com o intermédio de uma empresa parceira habilitada para esse tipo de serviço.

Outra vantagem de contar com uma plataforma é a agilidade com que os processos acontecem. Favorecer a otimização de atividades — como a redução de fraudes, erros, perda de valores financeiros etc. — é um fator que torna os trabalhos dos gestores de Recursos Humanos mais céleres e certeiros.

E mais, ao utilizar um sistema de empresa parceira, o setor de RH pode acompanhar o consumo dos benefícios de cada funcionário para ter maior controle de todo o movimento. Dessa forma, há uma maior probabilidade de ocorrerem insights significativos e que podem ser utilizados pelos colaboradores para agregar valor. Isso eleva o clima organizacional e melhora o engajamento, a relação interpessoal, a qualidade de vida na rotina laboral, entre outros.

Por fim, para ter certeza de que a gestão de Recursos Humanos realmente fez a melhor escolha dos benefícios flexíveis, é importante avaliar dois fatores:

  1. os custos que a empresa investiu nos benefícios;
  2. a satisfação e os resultados dos colaboradores ao usufruírem das vantagens.

Caso os efeitos não sejam os esperados, torna-se relevante inserir outros tipos de benefícios ou substituir os que não foram tão requisitados.

Percebeu como optar por benefícios diferenciados pode intensificar a produtividade na organização? Agora, aproveite que está por aqui e complemente as informações ao ler este outro artigo: Entenda melhor a relação entre gestão de benefícios e produtividade!

Fale com um especialista da Audaz

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *