Conheça 6 males causados pelo estresse no trânsito

Conheça 6 males causados pelo estresse no trânsito

Posted by

Todos sabemos que ficar preso no trânsito é uma situação estressante. Afinal, na maioria das vezes, não há o que fazer além de esperar que os congestionamentos passem. Mas que efeitos a exposição diária à influência do estresse no trânsito tem em um colaborador e como isso pode impactar negativamente a sua empresa?

Estudiosos vem apontando, nos últimos anos, a necessidade de olharmos para o “commuter stress” (em tradução livre, “o estresse do viajante”) como um sinal de baixa qualidade de vida. Empresas que querem ter bons resultados aprendem, em pouco tempo, que, quanto menor é a percepção de qualidade de vida de seus colaboradores, maiores são os problemas que ela enfrenta no dia a dia.

Conhecer melhor os males causados pelo estresse no trânsito vai ajudar você a otimizar o deslocamento dos funcionários da sua empresa e a conquistar melhores resultados no dia a dia. Portanto, fique atento para cada um desses males, como percebê-los e o que fazer para contorná-los nos tópicos a seguir!

1. Menor qualidade de vida

O primeiro e maior mal causado pelo estresse no trânsito é a baixa qualidade de vida. Mesmo no final da década de 1970 e início da década de 1980, esses males já eram notados pelos pesquisadores, que fizeram um estudo comparando os sinais de “felicidade” em funcionários de duas empresas. Uma delas oferecia uma maneira fácil de comutar para o trabalho, já a outra deixava isso a cargo dos colaboradores.

O índice chamado por eles de “satisfação do comutador” considerava a proximidade dos colaboradores da empresa em que trabalham e o quanto tempo passavam no trânsito para estimar a satisfação com uma empresa. 

Em pouco tempo, pesquisadores foram capazes de relacionar essas duas variáveis e mostrar como elas impactam o dia a dia das organizações.

Uma qualidade de vida melhor se mostrou determinante em todos os estudos para garantir que um funcionário continuaria a trabalhar para uma mesma empresa por muitos anos e até para determinar que tipos de problema de saúde físicos e psicológicos eles poderiam apresentar.

2. Fadiga no trabalho

Um dos sinais relacionados à baixa da qualidade de vida na análise dos males causados pelo estresse no trânsito foi a fadiga no trabalho. Baixos níveis de energia foram correlacionados com o tempo que cada um dos colaboradores passava no trânsito, e os resultados não foram nada surpreendentes. Aqueles que precisavam comutar por mais tempo para chegarem até seus postos de trabalho eram menos eficientes do que os demais e relatavam mais cansaço que eles.

A fadiga, porém, não é um problema isolado. Pesquisadores foram capazes de atrelá-la a outros problemas no ambiente de trabalho, como a maior incidência de acidentes mesmo quando os colaboradores dispunham de equipamentos de proteção individual para realizar tarefas arriscadas.

3. Maior incidência de acidentes de trânsito

Não é só no trabalho que os acidentes aumentaram por causa do cansaço provocado pela ida e volta do trabalho. Nas ruas, as coisas ficam muito mais perigosas quando motoristas e passageiros estressados estão envolvidos.

Cerca de 71% dos motoristas do Reino Unido avaliados em um estudo mostraram sinais de raiva e de falta de paciência no volante graça ao estresse, e isso foi associado ao fenômeno de “road rage”, ou raiva nas estradas, responsável por pelo menos 30 mortes no trânsito a cada ano.

4. Sintomas físicos de estresse

Outro enorme problema do estresse no trânsito experimentado por milhões de trabalhadores todos os dias ao comutar para o trabalho são os sintomas físicos de estresse. Em geral, eles estão relacionados tanto com o absenteísmo quanto com a exposição a um ambiente de trabalho insalubre.

Alguns dos sintomas físicos de estresse mostrados pelos funcionários com altas taxas de absenteísmo são: insônia, cansaço, dor de cabeça, agitação, queda de cabelo, dificuldade de se concentrar e perda ou ganho de peso.

5. Baixa produtividade

Um dos principais problemas causados pelo estresse no trânsito impacta diretamente os lucros e a eficiência da sua empresa. Estamos falando, é claro, da baixa produtividade observada nos funcionários que convivem diariamente com estresse. Esse estresse pode vir de múltiplas fontes, desde problemas familiares até a maneira como o seu colaborador escolhe se locomover para o trabalho todos os dias, e é preciso ficar atento para os sinais.

Um colaborador estressado, por exemplo, terá menos paciência com aqueles ao seu redor e, ainda que esse sinal possa ser apenas indicador de que alguém teve um dia ruim, quando ocorre repetidamente, ele é um indício claro de estresse.

Longas horas no trânsito estão relacionadas também a dores físicas, como nas costas e nas pernas, que afetam consideravelmente a performance. Combinados, esses fatores levam até a 60% mais de absenteísmo nas empresas e a uma produtividade 77% menor.

Por isso é tão importante ficar atento aos males causados pelo estresse no trânsito. Com algumas mudanças internas, que favoreçam o uso de outros modais de transporte menos estressantes e que permitam ao colaborador escolher como quer se locomover para a empresa, você poderá reduzir significativamente essas taxas negativas causadas pelo estresse.

6. Prejuízo para o meio ambiente

Por último, não podemos deixar de mencionar os prejuízos que o estresse no trânsito traz para o meio ambiente. Maneiras ineficientes de comutar para o trabalho são aquelas que mais têm impacto no efeito estufa (como carros que viajam com apenas um passageiro). Fazer esforços para tornar as viagens mais palatáveis e procurar oportunidades para integrar o time, como grupos de caronas, não são vantajosos apenas do ponto de vista da saúde.

Eles também ajudam a reduzir a pegada de carbono de cada locomoção feita até o trabalho. No longo prazo, são esforços como esses que ajudarão a evitar os efeitos do aquecimento global e a trazer mais qualidade de vida para o dia a dia dos profissionais da sua empresa.

É preciso ficar sempre atento para as palavras-chave estresse e trânsito. Quanto mais fatigados pelas viagens para chegar e sair do trabalho, menos produtivos, motivados, eficientes e saudáveis são os colaboradores. No longo prazo, a sua empresa pode se ver em situações difíceis por causa disso, como o aumento do absenteísmo e das taxas de turnover.

Oferecer recursos para que os seus colaboradores consigam se locomover melhor para o trabalho é uma das maneiras de evitar que a sua empresa seja impactada negativamente pelo estresse no trânsito.

Portanto, fique atento para os sinais e busque sempre estratégias que podem ajudar a contornar os problemas de mobilidade dos seus colaboradores. Considere cada uma delas um investimento na qualidade de vida do seu pessoal.

Gostou de conhecer melhor os males causados pelo estresse no trânsito e quer aprender a combatê-los? Siga a Audaz nas redes sociais e receba em primeira mão as dicas publicadas aqui no blog. Estamos no Instagram, no LinkedIn e no Facebook!

Fale com um especialista da AudazPowered by Rock Convert

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *